Opinião. Até onde vai o amor?

Amar…
Até quando é saudável?
Certo pensador já gritava a todos os cantos o quão bom pode ser amar sem medidas, sem restrições.
Mas… será que existem limites?
Opinião. Até onde vai o amor?
por Wenderson Cruz
em 13/11/18

Durante todos os dias convivemos com os tais limites.
Quando crianças, precisamos nos conter quanto ao nosso comportamento, o horário estabelecido para brincar, tomar banho, assistir tv, etc…
Na adolescência, independente das gerações, uma coisa bastante em comum:
As saídas frequentes, limitadas ao horário de chegada em casa.
Com quem andas, para onde vais, o que fazes, porque fazes?
E quando a fase adulta chega?
Queremos tudo. Sem limites.
Queremos, sofremos, buscamos, ou não.
Nos estabelecemos, e por vezes até nos agarramos, com força.
Eu quero mais. Eu quero tudo, eu amo o que consegui, eu preciso, por mais que no fundo saiba que possa ir além.
Amar…
Até quando é saudável?
Certo pensador já gritava a todos os cantos o quão bom pode ser amar sem medidas, sem restrições.
Mas… será que existem limites?
Acredito que na vida, por mais que você queira, que lute por tal objetivo, que seja agraciado posteriormente com tal realização,
tal conquista tenha seus momentos de ápice, de calmaria, e posteriormente, o dito momento de decisão.

Ainda convêm?
Como disse anteriormente, acredito que o ser humano diante as necessidades de transpor certos limites, acabam se encontrando em alguém em determinados momentos, mesmo que, um tanto inseguros.
E isso não é um erro.
Somos sujeitos a falhas, e isso é a coisa mais natural da vida.
Uma coisa você precisa ter em mente:
Aprendemos com essas falhas.
Tais momentos precisam ser aceitáveis.
Viveu, sofreu, foi feliz, passou, aprendeu, e vida que segue!
Uma certeza?
Precisa ser assim. É necessário.
De alguma forma, a sua vida precisa seguir!

Algo mais natural possível, é o fato de que pessoas passam por nossas vidas, sempre!
Com essas, independente dos resultados, sempre aprendemos algo que irá acrescentar em nossa caminhada de realizações por aqui.

Porém, não necessariamente, tal conquista de aproximação precisa durar para sempre. E eu vou te explicar isso.

Na maioria das vezes, quando encontramos alguém com quem nos identificamos em assunto, gostos e possíveis ideias, acreditamos não existir mais ninguém no mundo capaz de nos fazer tão bem quanto.
De certa forma, nos limitamos. Nos tornamos incapazes de ver além.
Nos restringimos ao presente, a segurança daquela convivência e desenvolvemos um certo medo do futuro.

Devemos ter a nossa base, a nossa segurança emocional, mas em contrapartida, devemos viver sempre o hoje!
Um dia após o outro.
O amanhã?
Com sua base, por mais que seja difícil, você enfrentará.

O ato de temer o futuro e nos limitar, pode ser um possível erro de nossa parte.
Não é egoísmo, desmerecimento, ou seja lá como você entenda isso.
Mas, talvez, somente talvez, aquela pessoa seja importante naquele momento.
Assim como você pode ser visto de tal maneira por seu parceiro ou parceira.
São fatos!
Acontecendo ou não, você precisa estar preparado para isso.
Claro que, naturalmente, ninguém se aproxima de tal pessoa com um tempo determinado já estabelecido.
Vou desenvolver um relacionamento de tantos anos, alcançar determinado objetivo, terminar, e seguir.
De maneira alguma!
Pode ser até que exista alguém assim. Mas, quem tem essa paciência toda para pensar em tudo?
Então, fiquemos com a maioria!
Não há.
E nos apegando a ideia de que não há, entendamos que devemos viver o momento.
Amar sim, sem medidas.
Sejamos felizes, vivamos o hoje, intensamente.
Porém, com o entendimento de que tudo isso, em algum dia, passa.
Por mais que demore, passará.

Pontos que relatei anteriormente:
Ápice, estabilidade e possível fim.
E sabe de uma coisa?
Isso não precisa ser conflituoso. De maneira alguma!
Mudanças, são necessárias.
Fases terminam, para que outras possam começar!

Bagagem…
Sou adepto da ideia de que a comunicação sincera, tudo resolve.
Para ter um relacionamento com alguém, antes de tudo vocês precisam se entender.
Conversar bastante, se identificar. Entendam como quiser, mas ao meu ver, é assim que nasce o tal sentimento mais forte!
Através dos pontos em comum com os quais vocês se identificam.
A base?
Com toda certeza é a amizade! Afinal, é dela que vem a confiança, não é?

A vida é imprevisível. E você precisa aprender a lidar com isso.

Sendo assim, também acredito que na vida você precisa estar preparado para tudo. Ou, para quase tudo.
Uma certeza:
O ser humano é adaptável.
Nunca seremos os mesmos, por mais que queiramos.
Mas como assim? Hoje você quer, amanhã já não quer, isso não é ser indeciso de mais, ficar em cima do muro, não se estabelecer em nada?
Não.
Querendo ou não, nossa vida é um constante processo evolutivo de mudanças.
Seja para melhor, ou para pior.
De alguma forma, precisamos nos adaptar! Colaborar, que seja.
Parar, nunca.
E quando digo parar, incluo o o fato de você se acomodar, também!
mudanças às vezes são necessárias.
Se não mais se sente bem comigo, segue.
Se já não me sinto bem aqui, porque não seguir em frente?

Sempre há…
Um novo horizonte, novos ares, novos lugares, novas pessoas.

O que te afeta hoje?
Rotinas que não te fazem mais tão bem, o trabalho que não mais te agrada, e até mesmo as pessoas que vão mudando, evoluindo seus ideais, fazendo com que você não mais se adapte a tal grupo.
E agora. Você vai parar por isso?
De maneira alguma!
Você precisa buscar seu horizonte.
Conhecer de tudo um pouco, pensar racionalmente.
Não é assim que nasce uma paquera, um contato identificável?
Por que não pode nascer o seu novo perfil, o seu novo horizonte que te faça bem?
Dizendo isso, não afirmo que você precise mudar totalmente. Mas sim, estar bem!
Quando é preciso mudar?
Quando você percebe que está utilizando de mais os seguintes argumentos:
Estamos tendo alguns conflitos os quais por mais que tentemos, não conseguimos resolver.
Porém, estou tão seguro aqui…
Estou tendo alguns probleminhas, mas tudo pode ser pior caso eu realmente precise tomar uma decisão.
Horas de reflexão, diálogo, a possível solidão.
E de qualquer forma, será que eu quero mesmo mudar?
Tradução: preguiça.

A pergunta que sempre deve ficar é:
Está dando certo pra vocês?
E pra você? Para a outra pessoa? Está?
O outro, ou até mesmo vocês dois, podem se basear no início, em toda história vivida e pensar:
Sim, está! Vivências, promessas, pretensões, tempo.
Mas, e agora?
Onde vocês estão?
O que tentaram fazer para resolver tais conflitos atuais?
Quais resultados tiveram?
O que ainda podem fazer, desde que não afete de mais a vida e a estabilidade emocional dos dois?

Vai por mim:
Tentar, dizer o que se pensa de maneira racional quando for preciso dizer, refletir sempre, por sempre tudo na balança evitando cometer o mínimo de erros possível, vale a pena.
1º Você não será atormentado por sua consiência mais tarde.
2º Pensando, refletindo, pondo tudo na balança, dificilmente você comete erros.
Por mais que nunca venhamos a agradar a todos, precisamos estar o máximo possível bem com a outra pessoa, e principalmente, com nós mesmos.

Você fez tudo o que foi possível, até quando foi possível. E isso é o que importa.

Um recadinho meu pra você:
Diante os momentos de baixo astral, tristezas, inseguranças, solidão e medos, lembre-se disso:
Você é uma pessoa incrível. Sim, incrível.
Tanto que, encantou a pessoa com quem você está atualmente, o que fez que em algum momento vocês viessem a decidir estarem juntos!
Nada de orgulho, nem ego.
Mas, se você encantou alguém um dia, por mais que você ache que foi difícil, sorte, milagre, ou seja lá do que você chame esse acontecimento, saiba que não é impossível acontecer novamente, em outro lugar, com outra pessoa.
Um fato:
Raramente relacionamentos por atração dão certo.
Sabe? Independente de seus gostos, achei ele ou ela atraente, investi, consegui.
E depois?
Quando vocês perceberem que não se entendem, que os gostos não batem, que os assuntos, depois que se conheceram totalmente, não fluem?
Permanecem por conveniência, por ego, por orgulho, pelos medos, pela insegurança?
Procure observar isso.
Nada dura para sempre.
Nem a própria felicidade. Porém, você precisa buscar a felicidade e a tranquilidade consigo mesmo, sempre.

Recomeçar.
Uma vez que você tenha um novo dia para tentar, tudo pode ser possível, desde que você queira.
Você é importante, sim!
Faça tudo certo, com calma e tranquilidade, e por mais que momentos difíceis venham, você terá mais confiança para seguir.
Vai por mim. Você precisa disso!
Para finalizar:
Você sabe quem você é, e do que é capaz?
Se descubra.
Você, seus jeitos próprios, seus gostos.
Sim, receitas milagrosas não existem.
Por mais que você consiga conquistar alguém com uma personalidade e discurso montado, em algum momento a conta chega.
E o preço pode ser caro!
Um conselho?
Somos identificáveis com alguém. Sempre.
E você precisa trabalhar isso.
Não é ser alguém de outro mundo, uma personalidade formulada, que você não tem, ou não é.
Mas sim, alguém seguro, que se ama em primeiro lugar, gosta do que faz, e é feliz, naturalmente.
Sempre há alguém…
Mas vivo assim, comecei a agir de tal forma, e nada!
Bom, você também precisa desse tempo.
Sozinho e não desesperado, você vive, observa, se dá oportunidades.
Saia!
Seja visto.
Seja você.
às vezes, a pessoa esperada por você está mais perto do que imaginas, porém não consegue te encontrar devido a tal personalidade fantasiosa que você está utilizando!
Não se esconda…
O mundo precisa de sua beleza, de seu brilho, de sua luz.
Seja!

Autor: da redação

Cronista, locutor, universitário, apreciador assumido de R&B, POP e MPB. Respira o romance 24:00. Por isso, embarca em dois romances incompletos, os quais um dia sonha em terminar. Atualmente sustenta uma coluna pública no site Recanto das Letras, e escreve com mais liberdade em seu próprio blog. Já tentou ser músico, se aventurou em meio ao teatro, e ainda arrisca algo no meio humorístico. Adepto a produção publicitária, se descobriu locutor na maior idade, e faz disso um complemento a todo o seu trabalho. Apaixonado pela literatura antiga, mas não abre mão de obras atuais para passar o tempo, por mais que esteja constantemente garimpando por obras inspiradoras, e as encontrando. Admira escritores que se destacam em descrever com perfeição os sentimentos, e faz disso sua inspiração. Gosta de viajar, conhecer novas pessoas, se aventurar em meio a novos assuntos, se inspirar e escrever sobre tudo aquilo que tem oportunidade. Ama a vida, admira sorrisos sinceros, se dedica em ajudar em tudo que esteja ao seu alcance, e luta diariamente por um mundo melhor. Vive com todos e por todos, em uma união de equilíbrio, paz e luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *