Resenha. Coração de Pelúcia – por Li Mendi

Autora:
Li Mendi
Editora: independente
Compre na Amazon
Sinopse
Fernanda, na adolescência, é deixada no baile de formatura do colégio por Alan, que não a procura nos dias seguintes.

Então, a menina se muda para longe e leva no coração aquela paixão que nunca aconteceu de verdade e a dúvida de por que Alan sumira.
Depois de muitos anos, Fernanda volta à sua cidade, reencontra Alan e descobre o motivo de ter ficado sozinha naquela noite.
O rapaz sofreu um sério acidente que lhe tirou a visão.
Passados os anos, o carinha mais gato e popular da escola virou um importante psicólogo e vive uma vida pacata e tranquila. Mas, ele nunca esqueceu aquela instigante menina que se mudara sem dizer adeus.
Agora, o destino une esse grande amor novamente e Fernanda irá desafiá-lo a participar de um concurso de dança onde vão fazer uma apresentação de tango. Assim, os dois tem uma nova chance para se redescobrirem,
motivados por superar seus limites.

O que Nanda, (nome esse que preferia ser referenciada logo após superar afase difícil que acabara de passar), não imaginava,
era que diante a toda insistência de sua avó para que conhecesse o SPA que costuma a frequentar, havia um grande fundamento para mudar toda a sua vida, positivamente.

Recomeçando, em meio a um reencontro

Tendo pouco tempo que saíra de um processo de reabilitação por conta de um relacionamento mal sucedido, Nanda se encontrava quase pronta para o mundo, novamente.
Que mal havia?
Passear um pouco, e conhecer o tão falado SPA frequentado pela avó.
O que Nanda não esperava, era que logo ao adentrar a sala de seu possível futuro terapeuta, estaria, mais do que dando o start para uma nova fase de sua vida, como também reatando antigos laços desfeitos ainda em sua adolescência.
Assumindo tal realidade, Nanda sabia que haveriam obstáculos que dificultariam e muito os seus sonhos já tão antigos.
Dentre a nova realidade e seus diferentes aspectos, haveriam muitas surpresas. Essas, que algumas, acabaria por descobrir logo de imediato. E outras, caso decidice seguir com seu futuro terapeuta.

Alan era o garotão inteligente e boa pinta da escola.
Com todas as garotas aos seus pés, não se preocupava com absolutamente nada.
Todas para si, com exceção a uma. Nanda.
Tímida, reservada, estudiosa. Nutria um secreto sentimento, que acreditava efetivar no tão sonhado baile de formatura.
Algo que, infelizmente, não aconteceu.
Adepto a grande velocidade, Alan viu sua vida mudar em um dia desses em que se acredita ter somente a adrenalina como fiel companheira.
Sendo acometido por um acidente, este veio a perder a visão.
Em meio a adaptações, Alan se apegou aos estudos, complementando sua tão admirável beleza exterior, com a reforma de sua aparência interior.
Porém, ele mal imaginava que em sua nova vida, depois de tantos anos, viria a encontrar a garota que infelizmente, teve de deixar a lhe aguardar.

Agora, por circunstâncias óbvias, não poderiam, de certa forma, continuar como profissional e paciente.
Havendo a necessidade de que fizessem uma difícil escolha, que não fosse o total afastamento, novamente.
Quem sofreria com essa história? Se é que possam vir a sofrer.

h2> Meu olhar

Em Coração de Pelúcia, a autora relata de maneira simples e objetiva, diversas fases da vida que podem vir a acometer um ser.
Os princípios da sociabilização,
os sentimentos desenvolvidos nesses encontros e estabelecimentos de vínculos,
o tratamento desses sentimentos,
os possíveis desencontros e as possíveis maneiras de lidar com um dito reencontro em uma nova fase, com todas as mudanças e necessidades de adaptações.

Para refletir

Dessa viagem, entendi:
Não importa o que fomos antes, mas sim, o que nos tornamos.
Se reconhecemos e aprendemos com nossos erros, e o quão positivamente tudo isso nos marcou, e nos mudou, para melhor.
O que somos hoje?
O quanto isso tudo nos leva a proporcionar a tão esperada confiança para o outro, e para nós mesmos?

Conclusão

Sem tanto exibicionismo, Li Mendi conseguiu incluir Alan, com deficiência visual, retratando-o de maneira objetiva.
Uma rotina sem rodeios, porém com todos os preconceitos mais complexos, sofridos ao longo do dia a dia, de maneira clara.
Novamente o meu encontro com uma pessoa com deficiência em um livro, que não vem a ser, definitivamente, o foco principal, apesar de ser o protagonista.
Acredito que o equilíbrio entre Alan e Fernanda se fez perfeito, pois em meio a suas vastas bagagens de mágoas e superações enfrentadas, ambos acabam por se complementar.
Ela, insegura, em recuperação física e mental.
Algo que, de qualquer forma, Alan pode ajudar.
Ele, formado, seguro de si, independente, porém com a necessidade de alguém com olhar verdadeiro, além das garotas de uma só noite, das que simplesmente se cansavam após tentarem assumir um processo de caridade, de uma nova experiência que não convinha.
De fato, ele precisava de alguém que olhasse para si, além de sua deficiência, de suas limitações, com um sentimento verdadeiro.
E é exatamente tudo o que Fernanda é, e tem a oferecer.
Paz.
Longe da pena, da caridade, de simplesmente ajudar.
Viviam…

superação

Aquela garota que durante tanto tempo nutria um sentimento escondida, poria a prova toda a super proteção por conta da família de Alan, e descrença por parte de seus próprios pais.
Em meio as diferenças de cada um, esse livro te responderá a seguinte pergunta:
Até onde vale a pena?

recomendações

Como disse anteriormente, tal aproximação se dá de maneira natural, e isso é o que faz por chamar atenção do leitor na obra.
Sem tantos encantos, com muita objetividade, a história de duas pessoas recomeçando suas vidas, acompanhada de todas as barreiras que a vida pode lhes apresentar.

Precisa de um romance leve, um tanto previsível, mas que de alguma maneira, te proporcione um novo olhar em meio a tantos que nos referenciam a sociedade?
Então, Coração de Pelúcia, com toda certeza é para você.

Autor: da redação

Cronista, locutor, universitário, apreciador assumido de R&B, POP e MPB. Respira o romance 24:00. Por isso, embarca em dois romances incompletos, os quais um dia sonha em terminar. Atualmente sustenta uma coluna pública no site Recanto das Letras, e escreve com mais liberdade em seu próprio blog. Já tentou ser músico, se aventurou em meio ao teatro, e ainda arrisca algo no meio humorístico. Adepto a produção publicitária, se descobriu locutor na maior idade, e faz disso um complemento a todo o seu trabalho. Apaixonado pela literatura antiga, mas não abre mão de obras atuais para passar o tempo, por mais que esteja constantemente garimpando por obras inspiradoras, e as encontrando. Admira escritores que se destacam em descrever com perfeição os sentimentos, e faz disso sua inspiração. Gosta de viajar, conhecer novas pessoas, se aventurar em meio a novos assuntos, se inspirar e escrever sobre tudo aquilo que tem oportunidade. Ama a vida, admira sorrisos sinceros, se dedica em ajudar em tudo que esteja ao seu alcance, e luta diariamente por um mundo melhor. Vive com todos e por todos, em uma união de equilíbrio, paz e luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *