Resenha. Uma Longa Jornada para Casa – por Saroo Brierley

Autor: Saroo Brierley
Editora: Record
Compre:
Amazon
Saraiva
Acompanhe no Goodreads
Sinopse:
A história que deu origem ao filme Lion: uma jornada para casa, com Dev Patel.
Aos 5 anos, Saroo pede ao irmão mais velho que o deixe acompanhá-lo à cidade onde ele passava os dias em busca de dinheiro e comida. Durante a viagem, o menino adormece. Ao despertar, confuso, se vê sozinho na estação de trem.

Ele não sabe onde está o irmão, mas vê um trem parado. Imaginando que Guddu poderia estar lá dentro, Saroo embarca no vagão, e isso o faz atravessar a Índia. Sem saber ler nem escrever, e sem ideia do nome de sua cidade natal ou do próprio sobrenome, ele é obrigado a sobreviver sozinho nas ruas de Calcutá até ser levado para uma agência de adoção e ser escolhido por um casal australiano.
Os anos se passam e, ainda que se sinta extremamente agradecido pela nova oportunidade que os Brierleys lhe proporcionaram, Saroo não esquece suas origens. Até que, com o advento do Google Earth, ele tem a oportunidade de procurar pela agulha no palheiro que costumava chamar de casa, e investiga nas imagens de satélite os marcos que poderia reconhecer do pouco que se lembra de sua cidade. Um dia, depois de muito tempo de procura, Saroo encontra o que buscava, mas o que acreditava ser o fim da jornada é apenas um novo começo.

Uma Longa Jornada para Casa nos conta a verdadeira história de Saroo Brierley, que nasceu em uma pequena cidade da Índia central e, aos 5 anos de idade, acabou por se perder de seu irmão em um vagão de trem,
Tendo de viver durante alguns anos nas difíceis ruas da Índia.

A obra, retratada em primeira pessoa pelo próprio Saroo, nos relata em grande parte os diversos aspectos de quais dificuldades pode enfrentar uma criança tendo de viver sozinha nas ruas, ainda mais na Índia.

Iniciamos no que, aqui no Brasil, chamaríamos de extrema pobreza.

Passamos por diferenças e pequenos conflitos religiosos e culturais, e demais problemas que se poderia enfrentar em uma sociedade amplamente urbanizada.

A realidade de que Saroo vivia em uma casa precária com sua mãe e irmãos, tendo de se revezarem para trazer meramente comida para casa,
pode não surpreender tanto ao leitor, se levarmos em consideração certa realidade que ainda temos por aqui em nosso país.

Porém, As imagens que Saroo nos passa, da precariedade e simplicidade dos arredores de seu lar, os perigos, até pelos cães raivosos que hora ou outra os perseguiam,
do momento em que decide seguir em uma jornada juntamente com seu irmão em busca de dinheiro e alimento, e acaba dormindo e sendo esquecido no vagão do trem.

Da apresentação precária das estações sempre muito sujas e desorganizadas,
o sempre difícil tráfego dos trens em super lotação, os perigos vividos nas ruas dentre tantas pessoas diferentes e animais soltos.
A morte vista de perto, o arriscado contato breve com a pedofilia, o qual ele felizmente passou batido.

A precariedade na época para o resgate de crianças em situação de rua, e como essas eram tratadas.
A quase nenhuma garantia de recuperação de tal criança ou adolescente, ou restabelecimento de vínculo familiar.
O difícil processo de adoção, a longa busca pela família através do Google com computadores e internet também precários.

De alguma forma, eu precisava trazer essa história para vocês.
É mais do que uma resenha, um post, um livro.
É uma história real e incrível que, muito nos chama atenção.

É imaginarmos, quantas crianças nesse momento vivem a mesma situação de Saroo por diversas ruas do mundo, Possivelmente, sem chegarem a terem a mesma sorte de Saroo?
Podemos dizer que ele praticamente nasceu de novo.
Um símbolo de força e determinação sim, e muita sorte.
Foram momentos valiosos, que eu precisava compartilhar com vocês.

História totalmente verídica, que na época, chamou atenção de todo o mundo.

Brierley se perdeu do irmão em uma estação de Burhanpur, na Índia, e acabou dormindo em um trem que o levou para Calcutá, a mais de 1.500 quilômetros de distância de sua cidade natal. Depois de viver na rua por algumas semanas, foi colocado em um orfanato até ser adotado por uma família australiana, que morava na Tasmânia.
O drama ganhou um novo episódio quase vinte anos depois, quando Saroo conheceu o Google Earth, a plataforma que reúne imagens de satélites de todo o globo. Depois de mais de cinco anos de pesquisa, achou seu antigo vilarejo e, em 2012, voltou para casa e reencontrou sua família. O empresário escreveu a sua história em um livro publicado em 2013 na Austrália, chamado de Uma Longa Jornada Para Casa(Record, 224 páginas) no Brasil. Em 2016, sua trajetória foi contada em uma produção para o cinema estrelada por Dev Patel que recebeu seis indicações ao Oscar, incluindo o de melhor filme.(Almeida Lucas/ 2017/16)

Autor: da redação

Cronista, locutor, universitário, apreciador assumido de R&B, POP e MPB. Respira o romance 24:00. Por isso, embarca em dois romances incompletos, os quais um dia sonha em terminar. Atualmente sustenta uma coluna pública no site Recanto das Letras, e escreve com mais liberdade em seu próprio blog. Já tentou ser músico, se aventurou em meio ao teatro, e ainda arrisca algo no meio humorístico. Adepto a produção publicitária, se descobriu locutor na maior idade, e faz disso um complemento a todo o seu trabalho. Apaixonado pela literatura antiga, mas não abre mão de obras atuais para passar o tempo, por mais que esteja constantemente garimpando por obras inspiradoras, e as encontrando. Admira escritores que se destacam em descrever com perfeição os sentimentos, e faz disso sua inspiração. Gosta de viajar, conhecer novas pessoas, se aventurar em meio a novos assuntos, se inspirar e escrever sobre tudo aquilo que tem oportunidade. Ama a vida, admira sorrisos sinceros, se dedica em ajudar em tudo que esteja ao seu alcance, e luta diariamente por um mundo melhor. Vive com todos e por todos, em uma união de equilíbrio, paz e luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *